PROJETOS

PESQUISA DE TRÁFEGO

Atualmente, a Perplan realiza pesquisas de tráfego através do processo de filmagem em campo (incluindo filmagens por drone) para posterior contagem dos veículos em escritório, a partir dos vídeos.

Permite contagens de longos períodos, além da realização de pesquisas em muitos pontos simultaneamente.

 

As pesquisas de origem/destino são de extrema importância para se obter informações detalhadas em relação ao tráfego que passa por determinado trecho.

A Perplan tem ampla experiência na realização dessas entrevistas, sempre contanto com o apoio da Polícia Militar Rodoviário, bem como no processamento dos dados obtidos.

 

Utilizando aparelhagem adequada, é possível realizar medição da velocidade desenvolvida pelos veículos em determinado trecho.

 

 

PLANEJAMENTO DE RODOVIAS

Estudo de diversas alternativas de melhorias na Via Anhanguera (SP330) no trecho urbano de Jundiaí, incluindo vias marginais, melhorias das interseções existentes e implantação de novos viadutos sobre a rodovia.

Os estudos envolveram extensas pesquisas de campo, além da estimativa do tráfego gerado por novos empreendimentos na região, tendo as análises de capacidade sido realizadas pelo processo de microssimulação, utilizando o software Aimsun.

 

No ano de 2016, foi inaugurado o prolongamento do Anel Viário Magalhães Teixeira (SP083) até a Rodovia dos Bandeirantes (SP348). Anteriormente, a SP083 partia da cidade de Campinas e se estendia somente até a Via Anhanguera (SP330).

Durante a etapa de projeto desse novo trecho, a Perplan foi responsável pela estimativa da demanda de tráfego que utilizaria o prolongamento, e também pelas análises de capacidade para dimensionamento das interseções e recomendações de faixas adicionais ao longo do trecho.

 

No trecho que corta a cidade de Campinas, a Rodovia Dom Pedro I (SP065) recebe intensa movimentação adicional de veículos ligados ao tráfego urbano.

Por essa razão, a concessionária Rota das Bandeiras vem implantando vias marginais em todo o trecho urbano dessa rodovia e realizando extensas obras de ampliação das diversas interseções existentes nesse trecho.

A Perplan desenvolveu todo os estudo de tráfego das várias versões desse projeto, contando, verificando posicionamento de agulhas, número mínimo de faixas em cada trecho, além da configuração das várias interseções.

Para esse estudo, além dos serviços em escritório, a Perplan desenvolveu em campo extensas campanhas de contagens de tráfego, além de entrevistas de origem e destino em todas as entradas da SP065 no trecho em estudo.

 

 

PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE URBANO

A região de Alphaville e Tamboré, localizada nas cidades de Barueri e Santana de Parnaíba, foi alvo de urbanização extremamente acelerada entre 1980 e 2015, com a construção de indústrias, galpões logísticos e um número muito grande de edifícios residenciais e comerciais, além de inúmeros condomínios de casas.

Essa urbanização e a geração de viagens de automóveis ligada a ela acarretou na saturação do sistema viário da região, levando à formação de diversos pontos de congestionamento. Por essa razão, o poder público chegou a proibir o desenvolvimento de novos empreendimentos na região, ano de 2013.

Nesse ano, buscando soluções para o problema do trânsito em Alphaville e Tamboré, a Perplan desenvolveu um estudo sistêmico de mobilidade e acessibilidade a essa região.

Os estudos envolveram o desenvolvimento de contagens e pesquisas de origem e destino, além de um extenso trabalho de modelagem e análise de alternativas para o tráfego da região, culminando num plano de melhorias viárias bastante abrangente.

Dentre as melhorias previstas estão alterações no sentido de vias, implantação de semáforos, implantação de rotatórias e alargamentos, além da construção de novos viadutos tanto no viário urbano quanto na conexão da região com a Rodovia Castello Branco (SP280).

 

 

O Grupo Iguatemi, em parceria com a FEAC, estudo implantar um projeto de ocupação de toda a Fazenda Brandina, área de cerca de 2 milhões de metros quadrados localizada ao redor do Shopping Iguatemi Campinas.

Ao todo, o projeto conta prevê a implantação de 6.000 novas unidades residenciais (apartamentos e casas) de médio e alto padrão, além de mais de 250.000 m² de edificações destinadas ao uso comercial (escritórios, hotéis, centros de convenções, hospital, faculdade, etc).

A Perplan foi responsável pelo planejamento viário de toda essa região, estimando o tráfego que será gerado quando a área estiver totalmente ocupada e propondo as melhorias alternativas de traçado de vias, número de faixas e soluções para os diversos cruzamentos (semáforos, rotatórias, etc).

Todas as análises foram realizadas através do processo de microssimulação.

 

 

No âmbito do desenvolvimento do projeto do VLT da cidade de Cuiabá, MS, uma das etapas foi o dimensionamento das estações de integração entre o VLT e o sistema de ônibus da cidade.

Nesse contexto, a Perplan utilizou o processo microssimulação para determinar o número de baias de ônibus necessárias para cada estação, tomando como base o número e a frequência das linhas, bem como o tempo que cada veículo demora estacionado em uma baia.

 

 

ESTUDO DE VIABILIDADE

No ano de 2015, a Prefeitura de Hortolândia desenvolveu um plano de melhorias viárias ao longo de toda a região urbana, incluindo sinalização, semáforos, recapeamentos, duplicações e implantação de novos trechos de avenidas.

De modo a obter a verba para essas melhorias a partir de um financiamento junto ao CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), foi necessário realizar um estudo de viabilidade econômica.

Utilizando técnicas de modelagem de tráfego e econometria, a Perplan desenvolveu um estudo que permitiu determinar os benefícios trazidos pelo projeto, tanto em termos de tempo (viagens mais rápidas) quanto em termos financeiros (custos operacionais, como combustível e manutenção dos veículos).

 

No trecho em que corta a cidade de Campinas, a Rodovia Dom Pedro I (SP065) recebe, além do tráfego de longa distância, um intenso carregamento de tráfego urbano e metropolitano.

Por conta disso, ocorrem nesse trecho alguns pontos de congestionamento, principalmente na interseção entre a SP065 e a Rodovia Anhanguera (SP330).

Nesse contexto, a Perplan desenvolveu o estudo de viabilidade econômica da construção do Contorno Norte de Campinas, via que funcionaria como um anel viário da cidade, atraindo o tráfego de longa distância e reservando o trecho urbano da SP065 para o tráfego de caráter mais local.

Foram analisadas diversas versões do projeto, com variações de traçado e alternativas de cobrança de tarifa de pedágio.

 

Atualmente, o Rio São Francisco, próximo à sua foz, não possui uma transposição viária conectando os estados de Sergipe e Alagoas.

A rodovia BR101, que possui uma ponte que faz essa transposição, situa-se já afastada da foz, tornando difícil o trajeto entre municípios dos dois estados, como Piaçabuçu, Brejo Grande, Neópolis e Penedo. Esse trajeto é feito atualmente utilizando um sistema de balsas de pequeno porte.

Assim, contratada pelo Governo do Estado de Sergipe, a Perplan desenvolveu um estudo para estimar a demanda de uma nova ponte a ser implantada próximo à foz, comparando seus custos de implantação com os benefícios traz idos em termos de geração de tráfego e diminuição dos custos de transporte.

 

ESTUDO PARA CONCESSÕES

No ano de 1998, foram realizadas as primeiras concessões de rodovias estaduais em São Paulo.

Dentre diversos outros estudos desenvolvidos pela Perplan nesse âmbito, destaca-se o estudo feito para o grupo vencedor da concessão da Renovias, lote que compreende a rodovia SP340 entre Campinas e Mococa, além de trechos da SP342, SP344, SP215 e SP350.

A Perplan foi responsável pelos estudos de demanda e estimativa das fugas por conta da cobrança de tarifa, considerando vários cenários de pedagiamento.

No ano de 2009, foi feita uma nova rodada de concessões de rodovias estaduais em São Paulo.

Novamente, a Perplan desenvolveu diversos estudos para os lotes de concessões, destacando-se o estudo feito para o grupo vencedor da concessão da CART, lote que compreende a rodovia SP270, entre Presidente Epitácio e Ourinhos, além da SP327 e SP225, entre Ourinhos e Bauru.

A Perplan foi responsável pelos estudos de demanda e estimativa das fugas por conta da cobrança de tarifa, resultando na arrecadação total ao longo do período de concessão.

 

 

No ano de 2018, terminam os contratos de algumas das concessões estaduais paulistas, dentre elas a da Autovias, responsável pela operação das rodovias SP255, SP318, SP330, SP334 e SP345, próximas à cidade de Ribeirão Preto.

Nesse contexto, o Governo Estadual de São Paulo realizou, no início de 2017, um novo processo de concessão, que deve incluir ao atual lote da Autovias novos trechos da rodovia SP255, desde Araraquara até a divisa com o Paraná.

Contratada por uma das empresas interessadas nessa nova concessão, a Perplan desenvolveu os estudos de tráfego referentes a esse novo lote.

Os estudos envolveram extensa campanha de pesquisas de tráfego (contagens de longos períodos e entrevistas de origem e destino), além de modelagem, estimativas de fuga e de projeções de tráfego, bem como análises de capacidade.

Como produto dos estudos, foi apresentada uma estimativa da arrecadação da concessão ao longo do período de 30 anos, além de diagnóstico de necessidades de ampliações nas pistas da rodovia e nas praças de pedágio.

ENGENHARIA DE TRÁFEGO

Como parte das obras ligadas à concessão da rodovia BR163, a concessionária MSVia deverá reformular diversas das interseções existentes.

A Perplan foi responsável pelos estudos de análise de capacidade de todas as  interseções a serem reformuladas.

Foram utilizadas diversas técnicas da engenharia de tráfego, incluindo análises de capacidade utilizando as metodologias do Highway Capacity Manual e do software SIDRA.

 

 

Apesar de sua localização de característica bastante urbana, a interseção do km 112+600 da SP147, em Limeira, faz parte da concessão da Intervias.

Justamente por conta do alto volume de tráfego urbano, nos horários de pico da manhã e da tarde são formados congestionamentos nas diversas aproximações dessas rotatória, o que motivou a concessionária a desenvolver um estudo para avaliar possíveis melhorias de aumento de capacidade.

Após as contagens de tráfego e modelagem das filas, tomando como base filmagens por drone, foram realizadas análises pelo processo de microssimulação, testando diferentes configurações (alargamentos, desvios, semaforização, etc.) e determinando a solução ideal.

 

Localizado na cidade de Osasco, o Complexo Maria Campos é um conjunto de dispositivos viários (trechos, alças e viadutos) que conecta diversas vias de grande importância da região: Rodovia Castello Branco (SP280), Marginais do Tietê, Avenida Brasil e Avenida Fuad Auada.

Considerando a existência de congestionamentos diários nesse local, a Perplan foi contratada para realizar um diagnóstico das origens da formação de filas, além de propor soluções.

Através de filmagens por drone, foi possível verificar quais eram os fatores que geravam os congestionamentos.

Com base nesse diagnóstico e nas técnicas de engenharia de tráfego, incluindo análises pelo processo de microssimulação, foi desenvolvido em parceria com a projetista Canhedo Beppu, um projeto de melhorias que deve estabelecer fluidez adequada no local.

 

 

Sistemas viários contemplando duas rodovias paralelas, como é o caso do sistema Anhanguera-Bandeirantes, não somente apresentam crescimento vegetativo do tráfego, como há também uma atração de tráfego de uma rodovia para outra conforme essa ou aquela passa apresentar melhores ou piores condições de tráfego.

Levando em conta esse fenômeno, a Perplan auxiliou a concessionária AutoBAn em seus estudos de projeções de tráfego em ambas as rodovia, subsidiando a programação das obras de aumento de capacidade em determinados trechos ao longo dos anos de concessão.

O dispositivo principal de acesso a Ribeirão Preto, no km 307 da Rodovia Anhanguera (SP330) apresentava diariamente problemas de capacidade, com a formação de filas bastante longas em diversas aproximações.

A Perplan fez parte dos estudos de projetos de reformulação dessa interseção, cuja concepção final é considerada um dos projetos viários de grande sucesso não somente em termos técnicos, mas também em termos de aprovação por parte da população.

 

 

 

ESTUDO DE IMPACTO DE TRÁFEGO PARA EMPREENDIMENTOS (RIT)

Desenvolvido pela empresa JHSF, o Complexo Catarina conta com um Outlet (concluído em 2015), um aeroporto para voos executivos e um conjunto de edifícios de escritórios.

Considerando o grande porte desse empreendimento e o seu acesso pela altura do km 60 da SP280, a concessionária ViaOeste e a ARTESP solicitaram o desenvolvimento de um extenso estudo verificando quais seria os impactos causados em termos de fluidez de tráfego.

Uma das etapas essenciais desse estudo foi uma extensa avaliação de qual seria o tráfego gerado pelo novo complexo, considerando metodologias nacionais e estrangeiras, além de contagens de entrada e saída de veículos em diversos empreendimentos existentes (aeroportos de porte similar, outlets rodoviários e escritórios próximos a rodovias).

De posse desses dados e do tráfego já existente no local, foram analisadas diversas alternativas de projeto de acesso, convergindo para uma solução menos onerosa, mas que atendesse as necessidades do empreendedor, da concessionária e da ARTESP.

 

 

Na altura do km 11 da pista Norte da SP209 (rodovia que liga Botucatu à SP280), empreendedores estudam a implantação de um novo polo multimodal, chamado Polo Inovador de Botucatu (PIB).

O PIB será implantado em um terreno de mais de 2 milhões de metros quadrados e contará com cerca de 1 milhão de metros quadrados de área total de lotes, contanto com indústrias, escritórios e residências, além de comércio e serviços.

Após a estimativa do tráfego gerado pelo empreendimento, foram realizadas análises de capacidade através do processo de microssimulação.

Com base nessas análises e em parceria com a projetista PRON Engenharia, foi definido o projeto de reformulação completa da interseção do km 11 da SP209. Esse projeto, no entanto, será implantado em fases ao longo dos próximos anos, já que o próprio PIB será também ocupado de forma gradativa.

 

 

Por conta de seu grande porte e da intensa movimentação de veículos gerada pelos shopping centers, esse tipo de empreendimento se caracteriza como um dos principais polos gerados de tráfego, atraindo bastante atenção por parte dos órgãos responsáveis pela aprovação da implantação de empreendimentos.

Nesse contexto, a Perplan desenvolveu para o Grupo Iguatemi, que possui mais de 15 shopping centers no Brasil, diversos estudos de tráfego por conta da implantação de novos shoppings ou da expansão de algumas de suas unidades existentes.

 

A Alphaville Urbanismo possui mais de 100 empreendimentos residenciais ao longo de 22 estados brasileiros.

Entre 2015 e 2017, a Perplan desenvolveu para o grupo os estudos de impacto no tráfego para mais de 10 novos loteamentos em diversas cidades.

Esses estudos foram de extrema importância para obter as aprovações necessárias junto a prefeituras e concessionárias de rodovia, além de propor soluções viárias que permitem melhor acessibilidade aos empreendimentos, tanto no sistema viário interno quanto externo, sempre buscando menor custo de implantação.

 

No ano de 2014, a empresa CONSPAR (hoje Realibras Urbanismo) iniciou os estudos de ocupação e desenvolvimento de uma área de cerca de 20 milhões de metros quadrados, próximas ao entroncamento entre as rodovias SP075 e SP280, município de Itu.

Como as áreas seriam divididas entre os usos industrial (incluindo fábrica da Foxconn), comercial, residencial e institucional, foi necessário desenvolver um grande número de pesquisas e um longo processo de cálculo para determinar o tráfego gerado pela ocupação dessas áreas e, em seguida, determinar qual seria o impacto desse tráfego nas conexões com as duas rodovias.

De posse desses dados e de análises de capacidade (SIDRA e HCM), foi feito um planejamento para a ocupação da região ao longo dos próximos 20 anos, concebendo os projetos necessários para que o acesso seja feito de forma adequada ao longo desse horizonte.

 

ESTUDOS DE IMPACTO DE VIZINHANÇA

De acordo com o Plano Diretor da Cidade de Campinas, todo empreendimento em que se considera um impacto urbanístico e ambiental deverá ter sua aprovação vinculada à elaboração do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) para obter as licenças ou autorizações de construção e funcionamento.

Diante dessa necessidade, a MRV engenharia solicitou o Estudo de Impacto de Vizinhança para um conjunto de Habitações Multifamiliares Verticais que seriam implantadas no bairro Jd. São Bernardo em Campinas, SP.

A primeira etapa do estudo consistiu na caracterização detalhada tanto do empreendimento quanto da sua área de entorno ou vizinhança, contando com campanhas de pesquisas de opinião com a população residente do entorno.

Já na segunda etapa foram realizadas análises sobre os aspectos positivos e negativos do empreendimento sobre a qualidade de vida da população residente ou usuária da área em questão e em seu entorno, incluindo proposições de soluções principalmente para as questões envolvendo o uso e ocupação do solo, formas de parcelamento, adensamento habitacional, equipamentos urbanos e comunitários, infraestrutura urbana e serviços públicos, além da valorização imobiliária.

 

ESTUDOS DE SEGURANÇA DIÁRIA

ESTUDOS DE LOCALIZAÇÃO INDUSTRIAL